Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Não vou contar-vos toda a minha história no que toca a este tema, já que se quiserem conhecer podem fazê-lo aqui, apesar disso, devo confessar que sempre fui uma criança muito sedentária e pouco ligada ao exercício físico, as desculpas para não praticar desporto eram recorrentes. Em Dezembro de 2011, com apenas 1,55cm cheguei a pesar cerca de 68 kg. Desde sempre fui considerada uma criança acima do peso e cheguei até a ser vista como obesa. A partir do dia 1 de Janeiro de 2012 tomei a decisão de mudar, por mim! Perdi (de forma totalmente saudável) cerca de 16kg, ganhei algum gosto por exercício físico e aprendi a ter uma alimentação saudável, sim porque, o mais importante acima de tudo é mudar de hábitos e fazer uma reeducação alimentar.

Sou uma rapariga cuja genética não abona muito a favor do "ser magra", por isso, conseguir cumprir o meu objetivo foi difícil, mas, muito gratificante. Durante cerca de três anos mantive o meu peso nos 52 kg, um peso saudável e adquado à minha estrutura, sempre com uma alimentação saudável e fazendo algum tipo de exercício físico (muitas caminhadas, inclusive). Infelizmente, recuperei algum peso depois de passar por uma fase mais conturbada na minha vida, de muita instabilidade emocional e stress (um grande inimigo!). Hoje em dia estou a lutar novamente contra os quilos a mais - não tantos como da primeira vez -, e faço-o por mim, para mim, para me sentir melhor comigo própria. 

Ontem, quando li o texto que partilhei convosco identifiquei-me muito com ele. De facto, acho que hoje em dia a nossa sociedade contribui imenso para que as mulheres (porque grande parte dos casos são femininos) se sintam inferiores apenas porque não têm "o peso", aquele que supostamente deveriam ter. Ter excesso de peso é péssimo se isso inclui questões de saúde e mal estar físico e psicológico, mas, caso nenhuma dessas coisas se verifique, não tem nem deve ser motivo de críticas. Para mim, faz sentido uma pessoa mudar e lutar por isso se realmente essa fôr a sua vontade e não se sentir bem/feliz com o corpo que tem, e não somente porque a sociedade lhe "impõe" isso. 

Nunca fui alvo de críticas abusivas contra o meu peso, mas há muita gente que sofre com isso. Sou muito crítica comigo própria e é por isso que sinto necessidade de me sentir confortável, e nem é bem com o meu peso, é mais com o meu corpo, porque o peso é apenas um indicativo. A verdade é que ultimamente não gosto do que vejo no espelho, e realmente a têndencia às vezes é duvidarmos de nós, dos comentários positivos que nos fazem, acharmos que não somos bonitas porque temos peso a mais. Faço um esforço por combater isso e usar todos os meus complexos como motivação para lutar por aquilo que quero ver no espelho, sem frustrações, sem obcessões, a um ritmo descontraído, mas sempre sem perder o foco. E, acima de tudo, não deixo a minha felicidade depender daquilo que a balança me mostra, porque sei que sou mais para além disso, e ainda bem!

 

Exibindo DSCN0702.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41



A blogger


Os meus livros


Pensamento da semana


Leituras do momento


O blogue no facebook


As nossas visitas



Algumas parcerias




Deixe-me a sua mensagem

Web Analytics

O que já está para trás

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D