Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mini-entrevista

por aesperaparavoar, em 01.02.15

Passado o mês de Janeiro é altura de dar as boas-vindas a Fevereiro! Assim, começo este novo mês a partilhar convosco uma mini-entrevista que me foi feita pela Mariana Pereira, aluna do 10º ano de escolaridade, que decidiu apresentar o meu livro na disciplina de Português e quis saber algumas coisas a meu respeito.

 

Mariana Pereira (MP) - Com apenas 16 anos já escreveu dois livros. Como lida com o reconhecimento das pessoas perante si e os seus livros?

Editei o meu primeiro livro aos 13 (anos). Editar pela primeira vez não é nada fácil, principalmente quando se tem 13 anos e se está na fase das dúvidas e das inseguranças. Acima de tudo eu era uma rapariga completamente anónima, e quando se é anónimo e inexperiente no meio é preciso saber lidar muito bem com o desencadear das coisas para conseguirmos que corra tudo bem a nível de publicação e divulgação do livro. No meu caso a divulgação do livro trouxe-me experiências óptimas e muito gratificantes, as idas à televisão, o aparecimento em alguns jornais, as apresentações em escolas, livrarias, bibliotecas e feiras do livro, e outras coisas que surgiram com o tempo. Foi assim que me tornei um bocadinho mais conhecida. Não me considero figura pública embora, hoje em dia, depois de já ter o segundo livro publicado, as pessoas já me comecem a conhecer um bocadinho e a abordar-me para falar dos livros e do facto de já ter publicado duas vezes com esta idade. Isso é muito bom, e gosto especialmente das críticas que fazem (as construtivas), porque são uma mais valia para eu poder evoluir.

MP - Como é que percebeu que o seu destino era ser escritora?

Bem, na verdade acho que o meu “destino” não é ser escritora. Nem sequer me considero escritora. Tenho muito respeito por quem faz da escrita uma profissão, com tudo o que isso implica. Eu escrevo de uma forma mais descontraída, e uso um bocadinho a escrita como uma catarse. Gosto de escrever, gosto muito aliás, mas, não me imagino a fazer da escrita uma profissão. Gostava, por exemplo, de ser jornalista ou apresentadora de televisão. Comunicar. Comunicar é a minha maior paixão, e embora queira ser médica, sinto que esta vertente da comunicação vai sempre fazer parte de mim.

Mas, respondendo à pergunta de outra forma, comecei a perceber que tinha algum talento para escrever devido aos meus professores do 2º ciclo que faziam questão de elogiar a minha expressão escrita e oral, e mais ainda depois de ter começado a publicar textos (em prosa e poesia) no blogue “Poesia a Brincar”, em 2010.

MP - Já pensou na história do seu próximo livro?

Para já ainda é cedo para pensar em publicar novamente. Estou centrada na divulgação deste segundo livro, um romance que me deu imenso prazer escrever. Criei uma intimidade muito grande com a personagem principal, a Margarida, quase como se ela existisse realmente e fossemos amigas. Além disso estou no 11º ano, este ano tenho exames e tenho tido sempre muitos testes e alguns trabalhos, portanto não tenho tido tempo suficiente para me dedicar à escrita de um próximo livro. Ultimamente quando escrevo faço-o no meu blogue (O diário de uma borboleta). Tenho já algumas ideias que surgiram com o tempo, mas nada suficientemente concreto.

 

1177 - Cópia.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:53



A blogger


Os meus livros


Pensamento da semana


Leituras do momento


O blogue no facebook


As nossas visitas



Algumas parcerias




Deixe-me a sua mensagem

Web Analytics

O que já está para trás

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D